UMA FAMÍLIA GUIADA PELO ESPÍRITO DA VIDA

“Vocês receberão poder quando o Espírito Santo descer sobre vocês, e serão minhas testemunhas em toda parte: em Jerusalém, em toda a Judeia, em Samaria e nos lugares mais distantes da terra” (At 1.8).

É bem clichê dizer, mas uma verdade incontestável é que a família é o nosso maior patrimônio. A família é uma das expressões da comunhão entre Deus Pai, Deus Filho e Deus Espírito Santo.

E a plenitude de uma vida em família depende da direção, do controle e poder que somente o Espírito Santo pode nos dar.

O texto bíblico citado refere-se à nossa missão como igreja, mas uma igreja não cumpre a sua missão sem que, primeiramente, suas famílias sejam a expressão de que vivem a verdade do poder do Espirito Santo.

Assim como o ministério do Espírito Santo em Atos dos Apóstolos fortaleceu a igreja, dando vida a ela, assim também o é para a nossa vida familiar.     

A fonte de vida que gera entusiasmo, entrega e cuidado dentro dos nossos lares é o Espírito Santo. Sem o Espírito Santo a instituição família se torna falida e sem vida.

É aqui que precisamos entender o quanto o nosso bem mais precioso, a expressão de quem somos, precisa ser guiado pelo Espírito da Vida.

A ausência do Espírito da Vida tem gerado dentro dos nossos lares medos, tensões, relacionamentos fechados e distantes, covardias e, com isso, formado uma geração enfraquecida diante dos desafios que todos vivenciam nessa vida.

Há uma promessa já cumprida: o envio do Espírito da Vida.

Durante o ministério de Jesus, os discípulos tinham como guia a orientação do próprio Jesus. Depois de sua ressurreição e ascensão, há o Espírito de Jesus, o Conselheiro, o Espírito da Vida, o Espírito Santo.

O próprio Jesus nos envia um guia para a vida em família. Por que para a vida em família? Qual a importância de se ter o guia?

Porque é por meio família que Deus age na igreja e no mundo. O Espírito da Vida capacita as famílias a servirem e a glorificarem a Deus, conduz-nos à certeza da salvação, intercede por nós nas nossas dores e impossibilidades, e sela-nos com a segurança em Cristo.

Em suma, o Espírito Santo é a fonte e o segredo de nossa santificação e nos molda segundo a imagem de Cristo.

Hoje, o convite é para que nossas famílias sejam guiadas pelo Espírito da Vida. Diante das portas fechadas dos templos, a igreja família tem de estar aberta e se fortalecendo através da direção do Espírito, que continua a ministrar vida e a produzir o seu fruto que é “amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Não há lei contra essas coisas!” (Gl 5.22-23).
Precisamos viver com o guia da vida em nossas casas, que nos ensina:  

1) Uma promessa já disponível

Jesus reafirma edificar a sua igreja, a sua família, testificando sua promessa de derramar o Espírito da Vida, que traz alívio ao sedento e transforma a terra que está seca.

O Espírito torna possível o diálogo entre as gerações tão distantes dentro de nossos lares, conforme promessa de Deus Pai dita pelo profeta (Joel 2.28,29). Em nossa casa, há profecias, visões, sonhos, onde todos vivemos sob o derramamento do Espírito Santo.

Essa promessa disponível nos faz esperar de forma obediente o poder de Deus em nós. O que desaprendemos ou nunca aprendemos na nossa vida acelerada é esperar.

O ativismo é mais fácil que a dependência. Correr do fracasso é mais fácil que enfrentá-lo e crescer com os aprendizados proporcionados.

A nossa força sempre é requerida para as ações com base no “eu posso” ou “eu consigo”.

Mas o desaceleramento obrigatório que estamos passando, o voltarmo-nos para dentro e para os nossos está nos ensinando, de maneira obrigatória, a olhar para nossos lares dilacerados, e a nos voltar a obediência ao Espírito da Vida.

O Espírito nos faz buscar uma vida de poder que já está disponível e para a qual nos reveste.

O Espírito nos faz viver realmente o poder do evangelho que não consiste só em palavras e, sim, em pais transformados que clamam por seus filhos, que se juntam ao clamor dos pais e têm seus olhos para o Reino de Deus, o qual não trocam por prazer nenhum deste mundo.

A realidade da promessa viva nos ensina a convivência da espera e da obediência que como família nos dá poder para dissipar o medo, para não viver a fantasia do individualismo, para termos a comunhão do amor, para não temermos a morte, para sermos perdoadores e não mais julgadores, para irmos além do comodismo e do conforto, e para anunciar a Vida do Espírito da Vida.

A promessa é incontestável e irresistível. É tão eficaz que ninguém pode desfazê-la e é definitiva para o nosso lar.

Uma promessa audível e verificável. Todos podem vivê-la e nossa casa é a influência para a nossa nação.

Essa promessa muda a nossa comunicação que, antes, era sem vida e sem entendimento, dando lugar às grandezas de Deus em nós.

2) O Espírito da Vida conduz a Cristo

Vidas em Jesus querem mais vidas para Jesus. Nossa família é de Jesus, pois a prioridade do Espírito da Vida é conduzir as pessoas ao Senhor Jesus (Jo14.26; 16.14). O Espírito da Vida traz o Salvador, e não somente bênçãos e dádivas. Deixarmo-nos guiar nos torna apaixonados pela experiência da presença e do poder do Espírito da Vida.

A prioridade da direção do Espírito é conduzir a nossa casa a Jesus.

Steve Lawson diz: “O desejo do Espírito Santo é que foquemos em Jesus Cristo, não em nós mesmos. Esse é o principal ministério do Espírito. Ele está nos conduzindo para Jesus. Trazendo Cristo de forma mais clara para o povo. Quando o Espírito Santo se torna um fim em si mesmo, significa que não compreendemos o seu ministério”.

O Espírito da vida não tem foco no milagre. Os holofotes estão sobre a pessoa e a obra de Cristo.

O Espírito não fala de si, nem chama atenção para si. Ele deseja glorificar a Cristo. (Jo 16.13-14).

Matthew Henry diz: “O Espírito não veio para erguer um novo reino, mas para glorificar a Cristo”.

O papel do Espírito da Vida é assim descrito por Revin Deyoung: “Regozijar-se em Cristo é uma evidência da obra do Espírito Santo. O foco da igreja não está na pomba, mas na cruz, e essa é a maneira que o Espírito quer que seja. Como J. I. Packer propõe, a mensagem do Espírito para nós nunca é: ‘Olhe para mim, me escute, venha a mim, me conheça’, mas sempre é ‘Olhe para Jesus, e veja a sua glória; ouça-o, e ouça a sua Palavra; vá até Ele, e tenha vida; conheça-o, e prove o dom da alegria e da paz”.

Com o Espírito da Vida, nossa família cada dia mais se torna semelhante a Jesus Cristo. Contemplemos a glória de Cristo por meio do Espírito para sermos semelhantes a Ele. Uma família cheia do Espírito Santo tem Jesus, olha para a cruz, tem a sua atenção para o Salvador (Hb 12.2).

O Espírito da Vida é o Espírito da Verdade que nos conduz na Palavra de Cristo e que nos faz pensar no que vem do alto (Cl 3.1-2), a ter alegria em servir a Cristo e a provar o amor em sermos obedientes a Ele (Jo 14.15), tendo a manifestação do fruto do Espírito Santo.

Sermos uma família guiada pelo Espírito da Vida é vivermos sob a direção do Espírito Santo (Gl 5.16-17). É sabermos que a promessa está disponível para a nossa casa.

O Espírito da Vida leva a uma vida de adoração a Deus de maneira plena, trazendo sobre nós Jesus.

Goodwin afirma: “O Espírito da Vida nunca nos deixará satisfeitos até que Deus Pai, Filho e Espírito Santo estejam no mesmo nível em nós. Nossa casa com Eles, em uma adoração verdadeira (Jo 4.23).

Nossa família guiada pelo Espírito da Vida reflete Jesus e, assim, podemos impactar esse mundo.

Deus nos abençoe para que sejamos engajados em uma família de oração, com comunhão entre pais e filhos, filhos e pais, com uma adoração revigorante e testemunho transformador, para todos crescerem em conhecimento e graça.

Revª. Jacqueline Bueno
Pastora da 1ª IPI de Luziânia, GO
Secretária da Família da IPIB

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O ESTANDARTE