A IPI DE PÃO DE AÇÚCAR ESTÁ DE LUTO

Faleceu a Diac. Eulina Paiva Mazzoni

Os presbiterianos de Pão de Açúcar foram organizados como igreja em 18/8/1874, filiados à Igreja Presbiteriana do Brasil, e tiveram como seu primeiro pastor o Rev. John Rockwell Smith. No dia 7/5/1904, às 20h40, sob a presidência do Rev. Vicente Themudo Lessa, a Assembleia da Igreja, reunida na Rua da Praia, 54 (hoje Avenida Ferreira Novais), em seu templo, decidiu desfiliar-se da IPB.  

Orientados pelo Presb. Emílio José de Morais, que havia participado da reunião do Sínodo da Igreja Presbiteriana do Brasil, no qual um grupo de pastores e presbíteros deixou a Igreja Presbiteriana em 31/7/1903, em São Paulo, a Assembleia resolveu aderir à IPIB e, para tanto, fizeram a reforma dos estatutos, passando a chamar-se IPI de Pão de Açúcar. Atualmente, é uma igreja com 116 anos.

Vários pastores estiveram à frente dessa igreja, entre eles os Revs. John Rockwell Smith, Vicente Cruz Themudo Lessa, Martinho de Oliveira, Sebastião Gomes Moreira, Manoel Machado do Nascimento, Vicente Felipe de Souza, Severino Alves de Lima, Arnaldo Ferreira do Nascimento, entre outros. Durante o pastorado do Rev. Manoel Machado, vários irmãos foram recebidos por profissão de fé em 31/7/1947, entre eles Eulina Paiva Mazzoni.

As décadas de 60 e 70 foram cruciais para a IPI de Pão de Açúcar. A igreja viveu um  longo período sem pastor por falta de recursos, em virtude da migração de quase a totalidade de seus membros para centros mais desenvolvidos, sendo, por isso,  ameaçada de  extinção.

Vale considerar que Pão de Açúcar é, na atualidade, uma cidade alagoana com população de pouco mais de 24.000 pessoas, localizada às margens do Rio São Francisco, no sertão alagoano.

No período no qual a igreja ficou sem pastor, quase sem membros e sem recursos materiais, a Diac. Eulina, servidora pública que trabalhava no antigo INPS, prestou relevantes serviços aos pão-de-açucarenses e principalmente à sua igreja, não permitindo que suas portas se fechassem definitivamente.

Como conhecedora da história do protestantismo na cidade e região, sempre lutou para que o presbiterianismo tivesse lugar diferenciado na cultura da cidade.

Graças aos seus esforços, reivindicou e conseguiu junto à Prefeitura, que um monumento fosse erguido na Avenida Bráulio Cavalcante, em frente ao templo da IPI,

em homenagem ao Rev. John Rockwell Smith, que foi o primeiro pastor ordenado presbiteriano em Pão de Açúcar.  

A Diac. Eulina faleceu com 96 anos de idade, em 9/10/2020, na cidade de São José da Tapera, no Estado de Alagoas.

O ofício fúnebre foi realizado no templo da IPI em Pão de Açúcar, sob a direção da Reva. Ana Paula Santos de Oliveira, pastora da igreja.

Através da emissora de rádio local, a Assessoria de Comunicação da Prefeitura, em nome do Prefeito Clayton Farias Pinto, manifestou votos de pesar, “considerando tratar-se de perda irreparável para a sociedade pão-de-açucarense”.

Foi serva zelosa, dedicada e fiel, que contribuiu com recursos próprios, custeando a aquisição de patrimônios e para a manutenção da igreja, não apenas em Pão de Açúcar, mas também na região ao colaborar com a organização da Congregação Presbiteriana Independente de Maceió.

Deus fez da Diac. Eulina seu instrumento para abençoar Pão de Açúcar e região, num contexto social carente, de pobreza e miséria. Por isso, como declarou o presidente do Presbitério de Sergipe, Presb. Marcos Sales: “Choramos a angústia da ausência, que será marcada pela dor da despedida e dará lugar à saudade.”

Deus conforte os corações e enxugue as lágrimas dos que sofrem com essa perda. Contudo, fazendo nossas as palavras de Jó, dizemos que assim se cumpriu a vontade do Pai Eterno, pois o “Senhor nos deu e o Senhor nos tomou. Louvado seja o nome do Senhor pela vida da Diac. Eulina Paiva Mazzoni.

Rev. Leontino Farias dos Santos, 2º vice-presidente da diretoria da Assembleia Geral da IPIB e professor da Faculdade de Teologia de São Paulo da IPIB (FATIPI)


Comunicamos, com profunda tristeza, o falecimento da irmã Eulina, anciã da IPI de Pão de Açúcar, e uma das maiores referências de amor e dedicação à obra do Senhor. A irmã Eulina dedicou a sua vida (recursos humanos, capacidade e condições financeiras) à vida da igreja, desde à IPI de Pão de Açúcar até a Congregação de Maceió. Foi uma das pessoas mais apaixonadas pelo evangelho e pela obra da evangelização. Sua atuação foi desde a dedicação espiritual à dedicação administrativa, defendendo que a igreja nunca parasse ou ficasse sem pastor, custeando a aquisição de patrimônio material e imaterial, bem como fazendo volumosas doações simbólicas e financeiras à igreja. Nós que a conhecemos e tivemos o privilégio de termos sido acolhidos por ela, choramos a angústia da ausência, que será marcada pela dor da despedida e dará lugar à saudade. Por outro lado, sabemos que a nossa esperança ultrapassa os limites deste mundo, pois o amor de Deus é mais forte do que a morte. E, por isso, agradecemos a Deus que conduziu e recebeu a querida irmã Eulina de vitória em vitória e a promoveu à glória celeste e eterna. A irmã Eulina “combateu o bom combateu, acabou a carreira e guardou a fé!” (Presb. Marcos Sales, da IPI de Pão de Açúcar, AL)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O ESTANDARTE