RACISTA? QUEM?

E Saulo consentia na sua morte…” (At 1.8.)

O mundo todo se abalou diante da cena em que um policial branco sufoca e mata um senhor negro pisando com a bota a sua garganta. A partir daí, muitos dias de protesto, dando a impressão de que todos os manifestantes e, praticamente, todo o resto das pessoas nunca teve qualquer participação em algum ato de racismo.

É lógico que a cena foi chocante e eu duvido que alguém, em algum lugar do mundo, teria coragem de admitir que concordou com o que viu.

No entanto, o racismo não se demonstra apenas desta forma violenta, que é abominada por todos, mas por milhares de formas sutis que nem sempre são visíveis e sensíveis, a não ser por quem o sofre.

Vivemos tranquilos, pois, afinal de contas, não cometemos “grandes pecados”.

Ocorre que o maior pecado é a omissão, é o consentir.

O escritor do livro de Atos fez questão de deixar claramente registrado que Saulo não jogou nenhuma pedra em Estêvão, mas foi tão criminoso como os outros porque consentiu.

Quase todos nós podemos garantir não termos infringido o mandamento “não matarás” (Ex 20.13).

No entanto, “Aquele que sabe que deve fazer o bem e não o faz comete pecado” (Tg 4.17) nos remete a uma triste realidade: a de que não matamos apenas atirando, esfaqueando, atropelando, pisoteando o pescoço de alguém, mas podemos matar com uma palavra, pois “A morte e a vida estão no poder da língua…” (Pv 18.21). “Flecha mortífera é a língua deles…” (Jr 9.8).

Mas também podemos matar com a indiferença, consentindo que as injustiças aconteçam.

E Saulo consentia na sua morte…”.

Existe um grande medo de que o mundo venha a morrer por uma grande bomba.

Outros acham que isto acontecerá pela ecologia. Mas morreremos pela apatia, pelo conformismo.

Então, fica a pergunta: Adianta fazer passeatas, exibir cartazes com gritos de protesto se, no dia-a-dia, de forma velada e sutil, pisamos no pescoço de quem está próximo de nós?

Apenas para reflexão…

Rev. Gerson Moraes de Araújo
Ministro jubilado da IPIB e capelão do Hospital Evangélico de Londrina, PR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O ESTANDARTE