BÍBLIA: UM LIVRO DE ENFEITE OU DELEITE?

No segundo domingo de dezembro, é comemorado a Dia da Bíblia por milhares de cristãos. Para muitos, a Bíblia é um livro qualquer, para outros, é um livro de sublime relevância para a vida espiritual. Para alguns, ela só serve para enfeitar uma estante ou criado, para outros, ela só serve para os momentos de adversidades e dificuldades. Uma boa porcentagem de pessoas só a utiliza nos momentos propícios de cultos ou missa, nada mais. E para você? Qual é a importância dela ou como e quando a Bíblia Sagrada tem sido útil para sua vida? Ela tem sido um instrumento de leitura e meditação diária ou tem sido relevante somente em alguma cerimônia religiosa?

Por que muitos, apesar de possuírem uma Bíblia, não a manuseiam diariamente? Por que será que ela tem servido para alguns apenas como amuleto ou um objeto de enfeite, como se isso fosse válido para sua vida espiritual? O ponto fundamental é que ter por ter uma Bíblia não indica que uma pessoa seja cheia de fé ou piedosa. O que faz a diferença é se ela a estuda, medita e principalmente vive os princípios abordados tanto no Velho como no Novo Testamento. Paulo declarou em Romanos 10.17: “De sorte que a fé é pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus”. A fé só será genuinamente gerada em nosso coração a partir do momento em que cada um de nós ouvir a palavra do Senhor contida nas Escrituras.

Na verdade, a Bíblia Sagrada foi escrita por homens, mas que foram inspirados por Deus para restaurar nossa comunhão com Ele. Quando você compra um produto em uma loja de eletrodomésticos, geralmente ele vem acompanhado de algum manual de instruções e de algum certificado de garantia ou de assistência técnica. O fato é que o manual de instrução tem sua total relevância para o bom uso do aparelho e, pelo fato de você estudá-lo e tomar conhecimento não daquilo que é óbvio, mas sim daquilo que tem dúvidas, com certeza, obterá sucesso no funcionamento do produto.

Assim é a nossa vida. Todos nós precisamos de um “manual de instruções” para prosseguir na jornada da vida. Infelizmente, os princípios deste mundo pós-moderno são anti-bíblicos em todas as esferas da sociedade. Nossa geração está a caminho da libertinagem e não da verdadeira liberdade. Como tem sido difícil educar e ensinar. O ser humano tem perdido seu controle há muito tempo e, do jeito que muitos estão indo, onde irão parar daqui alguns anos? Em 2 Timóteo 3.16 está escrito: “Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção, para a educação na justiça”. A Bíblia é a Palavra de Deus. Meditar em sua Palavra é ouvir a voz suave do Senhor.

A Bíblia contém princípios de vida que jamais serão extintos, concordando nós ou não. O que faz a diferença em relação às Escrituras não é se a temos, mas sim se fazemos bom uso dela. Não basta ler por ler, é preciso meditar e refletir nos princípios nela escritos. Não basta tê-la como um enfeite. Ela tem que estar no coração e causar transformação. D. L. Moody relata que: “O propósito da Bíblia não é aumentar nosso conhecimento, mas mudar a nossa vida.” Em Salmos 119.11, o salmista faz a seguinte declaração: “Guardo no coração as tuas palavras, para não pecar contra ti.” Ele sabia que somente dessa maneira iria vencer o pecado e adquirir entendimento e forças para combater esse inimigo. Leia a Palavra de Deus, medite nela, pois tenho certeza de que você irá encontrar nela princípios de vida que farão a diferença e trarão alívio ao seu coração. Certa vez, Martinho Lutero afirmou: “Pare em cada versículo da Bíblia e, por assim dizer, sacuda cada ramo dele, para que, se possível, pelo menos caia algum fruto”. Deus o abençoe!

Ademir Almeida
Missionário na IPI Parque dos Pássaros, em Areado, MG

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O ESTANDARTE