GENTILEZA NA ERA DIGITAL

Nos últimos meses, temos utilizado como nunca a Internet e seus benefícios diante do isolamento social e da proibição de aglomerações como medidas preventivas para a não propagação do coronavírus. Formas de trabalho, estudo, rotinas foram adaptadas e o ser humano, mais uma vez, se reinventou diante um cenário nada convencional.

Porém, a forma de utilizar a Internet, a exposição nas mídias sociais como Facebook e Instagram, e os fóruns de opiniões devem, nesse momento, levar-nos a refletir como usar de forma gentil essa ferramenta que tem um poder de alcance e propagação extremamente veloz. Ser gentil nas plataformas digitais e responder de forma amável, paciente e bondosa os que nos seguem e são influenciados por nossos conteúdos é um dos desafios dessa nova era. Até mesmo os conteúdos que colocamos à disposição no Youtube e as formas de responder a um e-mail são vistos e podem nos gerar seguidores e admiradores ou entrarmos em discussões sem fim e desnecessárias.

No texto de 1 Pedro 2.15-17, podemos ver que a vontade de Deus é a prática do bem. Inclui-se aí o uso da internet, não fazendo o mal e tratando a todos com respeito e amor. Esta seria uma forma de propagar o Reino de Deus e de demonstrar gentileza em um mundo cada vez mais egoísta e individualista.

Outra questão, além de ser gentil, é pensar sobre as coisas boas e ruins existentes nesse mundo digital. Algumas coisas boas como agilidade em encaminhar documentos ou levar conteúdos para diversas pessoas apenas com um “clique” são tarefas que foram facilitadas e nos auxiliam em diversas funções. Sabendo dosar o tempo e não abrindo mão do cuidado com a família, cuidado pessoal e com uma boa gestão organizacional, sem dúvida, temos muito a usufruir e aproveitar da Internet. Por outro lado, alguns cuidados devemos ter para não nos tornarmos alienados. Vemos pessoas que vivem procurando demonstrar uma vida perfeita tornando-se um “fake” no qual a vaidade toma conta do coração e a promoção pessoal se torna o grande objetivo de vida. Podemos fingir para as pessoas nas mídias sociais, mas Deus certamente sabe toda verdade e viver os propósitos dele é o melhor caminho que podemos trilhar. Vivamos as verdades do criador e entendamos que não somos os donos da verdade absoluta. Estamos em uma jornada em que podemos sempre aprender e compartilhar conhecimentos.

Mesmo vivendo como pacificadores nesse meio, existem os “hackers”, que são pessoas que atacam e criticam fazendo o “bullying virtual”. Alguns até crescem e conquistam seu espaço somente assim, gerando críticas e contendas sem respeito ou temor algum. Para tais situações, sugerimos que não entrem em debates sem fim ou em brigas virtuais. Não dar trela pode ser a melhor resposta. Temos o texto bíblico que nos orienta dizendo assim: “Sobretudo, amem-se sinceramente uns aos outros, porque o amor perdoa muitíssimos pecados. Sejam mutuamente hospitaleiros, sem reclamação. Cada um exerça o dom que recebeu para servir aos outros, administrando fielmente a graça de Deus em suas múltiplas formas” (1Pe 4.8-10). Assim, se temos o nosso espaço e se somos vistos nos ambientes digitais, que seja para a gloria de Deus, utilizando o nosso falar, os nossos dons e as nossas capacidades para que o nome de Cristo seja conhecido.

Todavia, caso aconteça de nos envolvermos em situações indesejadas, tais como a de sermos atacados, adotemos a postura bíblica que diz: “Alegrem-se à medida que participam dos sofrimentos de Cristo, para que também, quando a sua glória for revelada, vocês exultem com grande alegria. Se vocês são insultados por causa do nome de Cristo, felizes são vocês, pois o Espírito da glória, o Espírito de Deus, repousa sobre vocês. Se algum de vocês sofre, que não seja como assassino, ladrão, criminoso ou como quem se intromete em negócios alheios. Contudo, se sofre como cristão, não se envergonhe, mas glorifique a Deus por meio desse nome” (1Pe 4.13-16).

Que o nosso digitar, navegar e falar, nas plataformas digitais, seja agradável ao Senhor e dando sempre glória a Ele, para que, em dias onde conteúdos e pessoas que opinam e anunciam suas próprias vaidades e verdades, o evangelho seja anunciado e Jesus Cristo apresentado às pessoas, de forma gentil e amorosa. Deus nos use poderosamente para anunciar, neste mundo, as virtudes do seu reino, fazendo uso de formas criativas e inteligentes, ao mesmo tempo éticas e amorosas, como filhos da luz que resplandece como luzeiro. Por fim, sigamos avante, meditando e vivendo o ensino que diz: “Tudo o que fizerem, seja em palavra, seja em ação, façam em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai” (Cl 3.17).


Sem. Mário Nakamura
Membro da 1ª IPI de Dourados, MS

Siga o autor do Facebook

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O ESTANDARTE