O GRANDE SEGREDO (Lc 12.22-31)

Há duas semanas, meu filho caçula chegou trazendo nas mãos um livro e um DVD, dizendo: “Pai, eu li o livro. Gostei tanto que comprei o filme também. Estou trazendo para o senhor ler e ver. É muito legal! Aí está o segredo da vida”.

O título do livro e do filme é o mesmo: “O Segredo”. O livro, da australiana Rhonda Byrne, é o maior lançamento da história da autoajuda. É interessante notar que “O Segredo” não oferece nada de realmente secreto. Nem secreto nem novo. Na verdade, “O Segredo” é o tradicional discurso sobre as virtudes do otimismo, do pensamento positivo e da autoestima. Mas, afinal de contas, que segredo é esse capaz de atrair uma legião de leitores e fazer tanto sucesso?

O segredo é a lei da atração. Seu princípio fundamental é: Tudo que entra em sua vida é você que atrai. Você atrai para si tudo que estiver passando em sua mente. Bons pensamentos e emoções atraem boas situações. Os maus pensamentos e emoções atraem situações negativas. Se entrarmos numa sala onde as pessoas estão brigando, o ar é pesado como se estivesse escuro; o ambiente é feio; há uma negatividade; há um mal estar na sala. Mas, quando os lares são cheios de respeito e amor, o ar é leve e fresco; os cômodos são mais iluminados; o ambiente mais convidativo.

Qual a diferença entre um lar repleto de discórdia e um lar cheio de afeto? Simplesmente, o sentimento que as pessoas nutrem. Assim, se você souber usar o segredo, você pode ter tudo que quiser: saúde, felicidade, prosperidade, riqueza. Você pode ter qualquer coisa que escolher, não importa o tamanho do desejo. Você pode ter, fazer ou ser o que você quiser. Basta você saber usar o segredo. Ele compreende três passos.

O primeiro passo é pedir. Dê uma ordem ao universo. Informe-o sobre aquilo que você quer e ele reagirá aos seus pensamentos. Você tem a oportunidade de escolher o que quiser, mas é preciso ter certeza do que você quer. Se você não tiver certeza, a lei da atração não poderá lhe dar o que você quer. Sinais confusos levam a resultados confusos.

O segundo passo é acreditar. Acreditar que o que você quer já é seu, que você quer coisas como se já fossem suas. No momento em que você pede alguma coisa e acredita que já a tem, o universo inteiro vai se mover para torná-la visível.

O terceiro e último passo é receber. Você tem de pensar, falar e agir como se estivesse recebendo sua encomenda agora. Sinta como será quando as coisas desejadas chegarem. Comece a se sentir maravilhado. Para entrar nessa frequência, basta dizer “Eu estou recebendo agora”.

Estas são as ideias centrais do livro de Rhonda Byrne. Nós, cristãos, precisamos aprender a lidar com os perigos inerentes a qualquer ideia ou filosofia sem medo ou preconceitos. As ideias contidas em “O segredo” estão ajudando muita gente, inclusive cristãos. A lei da atração pode trazer muitos benefícios, muita coisa que nos pode ajudar. Para citar apenas um exemplo: A lei da atração explica a importância de nossos pensamentos e sentimentos. Nessa medida, a lei da atração nos estimula a ser bons gestores de nossos pensamentos e emoções, no que aliás faz coro com as Escrituras Sagradas que nos ensinam: “Tudo que é bom, tudo que é puro, tudo que é honesto, tudo que é de boa fama, nisso pensai e seja isso que ocupe o vosso pensamento” (Fp 4.8). Mas a lei da atração também tem as suas limitações. O fato é que há forças além e maiores que a lei da atração. E é exatamente isso que aprendemos nas Escrituras, na Palavra de Deus.

A primeira verdade bíblica que confronta a lei da atração tem a ver com a distinção entre graça comum e graça extraordinária. A graça comum é a graça derramada sobre todas as pessoas em todos os lugares. A graça comum nos proporciona tudo que de bom conhecemos e temos: a terra, o ar, o sol, a chuva, os rios, as matas, as flores, os frutos, a família, o amor, a amizade, etc. Jesus referia-se à graça comum quando ensinava: “O Pai faz raiar o sol sobre os bons e os maus e derrama chuva sobre justos e injustos” (Mt 5.46). A medicina, a ciência, o conhecimento, a tecnologia são expressões da graça comum. E ela presenteia igualmente bons e maus, justos e injustos. Mas Deus não para aí. Deus vai além, muito além. Ele manifesta também sua graça extraordinária. Essa graça é a graça redentora. Nela, nós experimentamos a presença salvadora de Deus: seu amor, sua misericórdia, seu perdão. Isso está disponível e ao alcance de todos. É ela que nos faz viver pela fé. É ela que garante que tudo é possível àquele que crê. É ela que nos promete: “Tudo que vocês pedirem em oração, creiam que já o receberam e assim lhes sucederá” (Mt 21.22).

A segunda verdade bíblica que confronta a lei da atração é que Deus está acima de qualquer lei e é maior do que qualquer segredo. Deus criou todo o universo e suas leis que levamos milênios para entender. Apenas recentemente começamos a entender os padrões do clima, o espaço profundo, o genoma humano e, mais recentemente, as maravilhas do cérebro humano. Deus é aquele que criou o universo e tudo o que nele há. Deus é aquele que nos criou à sua imagem e semelhança. Deus é aquele que detém o poder e o domínio sobre nossas vidas. Deus é o provedor. O Senhor da esperança. O Segredo do amor. Por isso, nunca dizemos “Glória ao universo”, mas cantamos com alegria e de todo coração: “Glória a Deus”.

A terceira verdade bíblica que confronta a lei da atração é que a vida é mais do que ter. A vida é sobretudo ser. Não há nada errado em querer coisas. Mas a vida é mais do que apenas carros novos, casas e piscinas. Na verdade, o cristão deve ansiar e lutar por um mundo melhor, pelos valores do Reino. Não podemos viver apenas para alimentar nosso egoísmo, nossos desejos. Nosso propósito na vida não é correr atrás de fortuna, fama, prosperidade. À luz das Escrituras, isso é ter uma vida pequena: “Alma, tens em depósito muitos bens, come, bebe, folga, regala-te” (Lc 12.19). Hoje queremos o mundo inteiro, não importa se o preço é perder a alma. Perder a vida. Tomar a cruz são valores estranhos para uma civilização marcada pela busca doentia da satisfação pessoal.

A quarta verdade bíblica que confronta a lei da atração é que há uma outra lei tão universal quanto a lei da atração: é a lei do pecado e da morte. “Todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus.” Essa lei é responsável pela trajetória desastrosa da humanidade desde a queda. Essa lei é responsável pelo poder e pelo triunfo do reino das trevas. O mundo está posto no maligno e a humanidade está cativa espiritualmente. Não podemos ludibriar nossas mentes para acreditar que vivemos numa terra de maravilhas quando, na verdade, estamos acampados às portas do inferno. Nós não podemos salvar-nos a nós mesmos a partir de bons pensamentos e de bons sentimentos.

O mundo ainda precisa de um salvador.

E, aqui, eu tenho um segredo.

Um segredo maior que o segredo de Rhonda Byrne. O maior de todos os segredos.

Na verdade, “O Grande Segredo”.

Mas qual é o grande segredo? É que nós já temos o salvador e seu nome é Jesus. E ele atraiu os pecados, as dores, as misérias, as feridas. E ele nos atrai na cruz, plantada no topo do Calvário. Ali se tornou realidade para sempre a lei da atração universal revelada por Jesus: “Eu, quando for levantado da terra, todos atrairei a mim” (Jo 12.32). Bendita lei da atração divina!


Rev. Abival Pires da Silveira
Pastor emérito da 1ª IPI de São Paulo, SP, falecido no dia 1º/9/2019

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O ESTANDARTE