ORDENAÇÃO AO MINISTÉRIO DA PALAVRA EM LONDRINA

O sábado, 29/2/2020, vai ficar marcado na história da 1ª IPI de Londrina. Nessa data, foram ordenados, pelo Presbitério de Londrina, ao Ministério da Palavra, os irmãos: Andréia Aparecida Oliveira Marques Pereira, Camila Palhão Zemuner, Cilas Faria, Iraídes Ramos Pereira, Leandro Santiago Begidio, Maria Christina Faggion Vinholo, Neide Ribeiro de Souza e Patrícia Rodrigues Ferreira.

Todos já exercem ministério na igreja e, durante alguns anos, vêm se preparando especificamente para o ministério pastoral com a formação no Curso de Teologia da Faculdade de Teologia de São Paulo da IPIB (FATIPI). Foi um tempo de muito estudo, capacitação e dedicação que resultou na aprovação, por unanimidade, de todos os candidatos à ordenação.

Testemunhos da vocação

Andréia Oliveira Marques Pereira: Meu chamado aconteceu logo após a minha conversão, em uma conferência missionária em Botucatu ministrada pela Miss. Bugra. Nesse momento, não tinha a clareza do que Deus estava sinalizando. Apenas disse sim ao Pai. Anos depois, mudei para Londrina e iniciei a caminhada em célula. Tudo foi acontecendo naturalmente até ser convidada para assumir a coordenação do Ministério Infantil, como obreira da igreja. Ao assumir essa função, recebi uma orientação de Deus para iniciar o curso de Teologia (EAD-FATIPI). Ao final do curso, tive a confirmação definitiva da vocação pastoral. Foi um maravilhoso processo de aprendizado e comunhão com o Pai.


Camila Palhão Zemuner: Desde que me entendi como cristã, vivo o chamado de Deus para minha vida. Iniciei minha caminhada ao lado do meu pai, Rev. Paulo Palhão, liderando crianças, adolescentes e ministrando o louvor. Conheci o meu marido, Rev. Daniel Zemuner e, juntos, pastoreamos a 9ª IPI de Londrina e a 1ª IPI de Sorocaba, onde comecei a fazer cursos para me capacitar e, então, na 1ª IPI de Londrina, ingressei na FATIPI. Achava que estava fazendo o curso para aprender e poder ensinar com mais sabedoria. Minha mãe me disse que, em seu ventre, eu já havia sido chamada por Deus. Mas, um dia, o Senhor me chamou por meio do Rev. Rodolfo Montosa, em uma visão. Ouvi, em alto e bom som, o tom doce, suave e inconfundível da voz do Bom Pastor. Minha resposta? Eis-me aqui, envia-me a mim!


Cilas Faria: A graça irresistível de Senhor me alcançou em 2005, em meio a um grande deserto. Ao me render ao senhorio de Jesus, pude experimentar coisas jamais sonhadas na minha vida. Em 2006, numa conferência missionária, aceitei o apelo missionário junto com minha esposa. Em 2008, aposentei-me como policial rodoviário e, ao contar essa bênção para o Rev. Messias Anacleto Rosa, ele colocou a mão na minha nuca, encostou testa com testa e disse: “Venha ser meu companheiro de ministério”. Em 2010, fui convidado pelo Conselho da 1ª IPI de Londrina para ser missionário em Sorriso, MT, onde, por quatro anos, servi ao Senhor à frente da congregação naquela cidade. Em 2014, voltei a Londrina para estudar teologia, formei-me e, agora, em 2020, fui ordenado Ministro da Palavra de Deus.


Iraídes Ramos Pereira: Desde que o Espírito Santo me levou a Jesus, derramou luz nas trevas da minha vida e converteu meu coração. Eu percebi o chamado de Jesus, permaneci na fé e busquei crescer no conhecimento do Senhor. Minha igreja sempre me apoiou e, hoje, a palavra que me impulsiona é gratidão ao Deus pelo privilégio de poder servi-lo no exercício do chamado pastoral.


Leandro Santiago Begidio: Em outubro de 2008, tive uma experiência que marcou a minha história e mudou, para sempre, todos os planos que havia traçado para a minha vida. Até então, nunca havia entrado em uma igreja protestante. Mas, naquela noite, Cristo veio ao meu encontro e me chamou para a vida. Junto ao seu chamado, ele revelou que eu seria ordenado pastor. Foram onze anos de caminhada como auxiliar, líder, supervisor e superintendente de células até chegar à ordenação pastoral. Deus é fiel e cumpre as suas promessas.


Maria Christina Faggion Vinholo: Converti-me durante uma viagem à Terra Santa. Fiquei tão fascinada com a obra de Cristo por amor a mim que li toda a Bíblia em quarenta dias. Quando regressei, meu marido e eu fizemos uma peregrinação por igrejas para achar o nosso lugar. Um certo dia, eu estava num evento, sentada na última cadeira. O pastor veio até mim e disse, olhando nos meus olhos, que Deus iria me usar como pastora. Na época, pareceu-me uma “loucura”, mas guardei no coração. Depois de uma longa jornada e acontecimentos marcantes, estou eu aqui, pastora ordenada pela IPIB. Deus é bondoso e fiel em suas promessas.


Neide Ribeiro de Souza: Há 18 anos, uma amiga que é pastora do Rio de Janeiro foi a minha casa fazer uma visita e orou por mim, pois eu estava doente. Ela trouxe uma palavra da parte de Deus, dizendo que era para estudar teologia, pois Ele estava me chamando para o ministério pastoral. Relutei muito, mesmo trabalhando muitos anos na 1ª IPI de Londrina como superintendente de células, em aconselhamento, cuidando de pessoas e cuidando de uma congregação em Cambé, cidade vizinha. Incentivada por algumas pessoas, fiz o curso na FATIPI (EAD). Para glória de Deus, fui ordenada pastora.


Patrícia Rodrigues Ferreira: O chamado pastoral foi testificando na minha caminhada cristã. Em 2013, enfrentei uma enfermidade grave, fui desenganada pelos médicos, mas Deus operou o milagre e restaurou minha saúde por completo. O Rev. Rodolfo Montosa visitou-me no hospital, e recebeu de Deus uma palavra dizendo que eu não iria morrer e seria obreira na igreja. A palavra se cumpriu. Deus me trouxe à vida. Meu nome foi para o Conselho da Igreja para servir na obra em tempo integral. Houve aprovação unânime. Desde então, tenho servido com alegria e, neste ano, recebi mais uma dádiva do Senhor, a ordenação pastoral.


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O ESTANDARTE