A FASCINANTE HISTÓRIA DO HINO “PRECIOSA GRAÇA DE JESUS”

Continuando a divulgar histórias maravilhosas de hinos e de seus autores, saliento a existência de versões divergentes sobre autoria do hino “Preciosa Graça de Jesus” (CTP, 112), cuja letra foi escrita por John Newton.

Depois de um curto tempo na Marinha Britânica, Newton arranjou uma transferência para um navio negreiro, iniciando, assim, sua carreira como traficante de escravos. Ele se tornou cada vez mais num homem de espírito revoltado e blasfemo. Zombava abertamente de qualquer pessoa que professasse a fé no Deus cristão.

Certa ocasião, em uma de suas viagens no mar, Newton enfrentou uma grande tempestade. As ondas que quebravam sobre o navio causaram graves danos e isso o levou a crer que o navio iria afundar.

Depois de horas retirando a água do navio, Newton gritou: “Se essa tragédia não vai terminar, que o Senhor tenha misericórdia de nós”.

Imediatamente, começou a se sentir constrangido e indigno, pensou: “Que misericórdia poderá haver para mim? Nunca houve ou poderia haver um pecador como eu. Cheguei à conclusão de que meus pecados eram grandes demais para serem perdoados”, disse Newton.

Semanas depois, passou por outra tempestade, mas entregou sua vida a Cristo, achando que ia morrer.

Depois de ter sobrevivido, ele descobriu que existe um Deus que ouve e responde orações.

Apesar de sua conversão, John Newton continuou a trabalhar como traficante de escravos, totalmente cego para os males da escravidão por causa de sua cultura e também por interesse próprio.

Porém, depois de muitos anos, ele explicou: “Eu teria sido sobrecarregado com angústia e terror, se eu soubesse, ou mesmo suspeitasse, de que eu estava agindo de forma errada”.

Finalmente, chegando à Inglaterra, sua terra natal, ele começou a crescer na vida espiritual com ajuda de outras pessoas.

Ouviu pregadores como John Wesley, que condenava o tráfico de escravos, e a sua vida mudou totalmente.

Tornou-se um pastor anglicano, autor de vários hinos e grande defensor do fim da escravidão na Inglaterra, influenciando o abolicionista William Willberforce.

Ele havia transportado muitas cargas de escravos africanos para as Américas. Durante as viagens, os escravos não podiam falar, nem gritar. Então, eles sussurravam sons sem pronunciar palavras.

Essa melodia ficou conhecida como “o lamento da África Ocidental”.

Enquanto transportava os escravos, Newton ouviu a canção em forma de lamento e escreveu as palavras “Amazing Grace”. Depois, ajustou a letra deste hino tão conhecido nessa melodia escrava.

O hino “Preciosa Graça de Jesus” se tornou um dos mais importantes hinos cristãos da história. Com mais de 200 anos, é a canção mais gravada de todos os tempos.

Em 2015, 267 anos depois daquela viagem que mudou sua visão de mundo, sua história e a da música viraram musical da Broadway.

Um traficante de escravos virou abolicionista, pastor e referência cristã.  

Na letra há muitos resgates emocionais de John Newton sobre seu passado complicado e sobre a experiência de quase morte que o levou a suplicar por misericórdia divina.

Rev. Caleb Soares
Ministro da Igreja Presbiteriana do Brasil (IPB) e historiador

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

O ESTANDARTE